Translate

29/12/2012

   No fundo, ele vive numa floresta cheia de fantasmas e bichos papões.
Sobrevive-se!
   Embora ele saiba, que muitas vezes está a atravessar sozinho, mas com muita convicção, é o acreditar que aquilo é a verdade para ele, e que está certo, independentemente do que os outros possam pensar e dizer. Está certo para ele, não havendo nada que o demova, fazendo sentido lá dentro, e sendo assim, não tem como estar errado.
Acreditando, que a floresta tem um fim, existem florestas de vários tamanhos... umas maiores, outras mais pequenas, mas todas têm um fim. A vida é feita disso mesmo. Geralmente, uma caminhada feita quase sozinho, embora saiba muito bem ter alguém a quem dar as mãos, poder sentir aquela segurança de que não está sozinho, sentir o calor que emana daquele ser, ali ao seu lado dele. Mas tendo sempre a noção que ele tem de estar sempre lá, nunca podendo se descartar, da sua caminhada individual, nunca podendo deixar de acreditar no que está a fazer, porque senão começa a vacilar.
É um caminho que tem de ser feito com muita seriedade, honestidade e sobretudo convicção!