Translate

07/12/2012

Dejà vu...

Lá estava ele, na cozinha, quando por momentos aquela situação leva-o a um dejà vu nada desconhecido.
Estava em frente do seu fogão à espera que a água ficasse aquecida para a botija, quando é transportado para a sua casa, em que Invernos antes, fora quase religiosamente cumprido o ritual de aquecer a água para os seus pés. Por momentos, seu coração bateu mais forte a pensar que estava num local que um dia chamou casa com toda aquela ambiência. Porém, segundos depois veio a si, e constatou que todos aqueles momentos, em que ficava ali à espera e a sua mente flutuava por esse tsunami de pensamentos, voltaram. Um momento, uma recordação.