Translate

20/11/2013

O meu problema de desejar

  Querer alguém, ou alguma coisa, é muito fácil. Mesmo assim, olhar e sentir-me querer, sem pensar no que estou a fazer. É algo mais bonito, do que se diz. Antes de ver a pessoa, ou a coisa, não sabia que estava tão insatisfeito. Porque não estava. Mas, de repente, vejo e assalta-me a falta enorme que me faz. Para não falar na falta que me fez e para sempre há-de fazer. Como foi possível viver sem? Afinal das contas, querer é descobrir as faltas secretas ou inventa-las na magia do momento.
 
Querer é mais forte que desejar, pelo menos na minha língua . Querer é querer ter, é ter de ter. Querer tem mesmo de ser. Quem deseja, gostaria. Seria bom poder ter o que se deseja, mas o que se deseja não dá vontade de reter, se calhar são muitas as coisas que se desejam e não se podem ter todas ao mesmo tempo. Querer é ter e guardar, é uma vontade louca de propriedade, enquanto desejar é querer conhecer e gozar, é uma vontade de posse. O querer diminui-nos, o desejar não. Sei que sou completo quando desejo...

O desejo é democrático e o querer é fascista.